24.4.18

Vida rústica

Nessa época de poucas palavras e muitos símbolos, tropeço. Ainda.
Não tenho simpatia indefinida. A cordialidade da lista sem fim irrita minha córnea. A previsão "chipada" não cabe em si.
Prefiro a mesa rústica. O chão de paralelepípedos incômodo? O automóvel preto.
A vida, lembremos, é primária. Começa e termina sem acabamento. Rua a asfaltar. Parede sem reboco.
Caiu a maçã. Não. Furtada do galho. Ansioso, o homem. A mulher. Mas, rústico. Sempre.


2 comentários:

Ou: pi_cap@hotmail.com

Obrigado.